EDITORIAL

Da câmera emprestada ao Louvre!


Para estrear este editorial, contarei uma crônica sobre a minha paixão pela fotografia

A fotografia é uma antiga paixão, que significa para mim, a arte da observação.
Desde a época em que as fotografias eram impressas de forma limitada e que era preciso dar um precioso e certeiro "tiro" para registrar aquele enquadramento especial, que eu tentava "enxergar" diferentes contextos a partir daqueles "olhares" únicos e momentâneos. Nascia assim, a minha paixão pela fotografia.

Não me pergunte o por quê, mas eu tinha uma prancha de surfe, uma bicicleta, um skate e não tinha uma câmera fotográfica. E era exatamente isso que me deixava incomodado, pois tinha que pedi-la emprestada aos amigos, que cartesianamente não me enviavam de volta as fotos que eu fazia com as suas respectivas câmeras. Isso não diminuía o meu grau de amizade com eles, por outro lado, aumentava ainda mais o meu anseio em querer aprender e registrar tudo aquilo que eu conseguia enxergar, ao invés de apenas ver.

Tranquilo e esperançosamente, eu repetia para mim mesmo: ?  Quando pudesse fotografar com minha própria câmera, iria compensar toda aquela frustação. E foi assim que aconteceu. Tomei coragem e encomendei uma câmera a um amigo, que costumeiramente viajava para os Estados Unidos e para a minha surpresa, eu nem precisava esperá-lo viajar, pois ele havia comprado exatamente aquele modelo que eu pretendia e, por coincidência, queria trocá-la por outra mais prática. Quer notícia melhor do que essa? Então veja, o preço que ele me fez, além de não ter sido  corrigido ou embutido os impostos de importação, foi parcelado em fraternos meses. E para a felicidade geral da "minha" nação, comprei a minha primeira câmera DSLR!

Com o brinquedo em mãos e feliz da vida, saí "atirando" para todos os lados. O que teve de mais interessante era que, a cada dia em que aprendia mais, eu percebia  o quanto estava sendo prazeroso descobrir um segundo, terceiro ou quem sabe, um primeiro olhar e me antecipava aos intermináveis momentos mágicos das fotografias.

A partir daí e oficialmente já como fotógrafo amador, começaram a aparecer os primeiros frutos. Primeiramente vieram através do reconhecimento dos amigos mais próximos e, depois, dos novos amigos que fiz durante as  discussões fotográficas. Logo em seguida, e em um novo patamar, conquistei importantes reconhecimentos de comunidades internacionais de fotógrafos, como por exemplo, a "Photographes du Monde", onde acumulei "selos" de todas as categorias, tanto pelo júri técnico e também do júri popular.   E para a história ficar ainda mais sensacional, faltava uma exposição em uma renomada galeria de arte. Antes disso, queria mencionar a satisfação em ter sido convidado por uma amiga-irmã, para expor o meu primeiro quadro em um evento, onde pude receber diversos elogios, inclusive de grandiosos artistas locais. Este momento foi um predecessor para o meu encorajamento na arte da Fotografia.

E não por fim, mas agora sim, faltava a galeria de arte para chancelar este sonho. E justamente esta parte, veio com todo estilo para condecorar este novo caminho que se inicia. Ter a oportunidade por três dias, de ser um dos trinta artistas protagonistas e expor o seu quadro em um dos museus mais famosos do mundo, que reúne o maior patrimônio artístico e cultural do planeta, o Louvre, é no mínimo SENSACIONAL! Sensacional será a palavra que a partir de agora utilizarei toda vez que meus sonhos se transformarem em realidade.
 
Dificilmente existirá oportunidade melhor para se iniciar uma carreira. Embora, a "sensacionalidade" comece com gestos simples, como pedir uma câmera emprestada para fotografar e até mesmo quando você aponta o  celular para aquela cena que muitos viram e apenas você enxergou e fez malabarismos para registrar. 

Fotografar é simples, mas não é fácil. A fotografia é um registro, congelado e objetivo, de um momento a partir de um ponto de vista. Cada ponto de vista, pode transformar simples momentos em grandes imagens. Não existe fotografia feia ou ruim. Elas são únicas e expressam algo em particular, principalmente de quem a fez. Tanto é, que se você tiver dez fotógrafos tirando fotos de um mesmo objeto, você terá dez resultados distintos e outros dez olhares diferentes, pois as ideias se misturam com as fotos. Uma foto pode surgir a partir de várias ideias e grandes ideias podem surgir a partir de uma simples foto. Você nunca saberá o que te espera do outro lado da esquina. Não pare. Não interrompa a magia. Você poderá ter uma excelente ideia, um grande momento ou uma bela foto. Então fotografe!



Por Cleber Castro

cleber@artegaleriamundo.com.br

Leia também

Yemanjá

Orixá feminino representado pela sereia, cujos filhos são como peixes, é padroeira dos pescadores e decide o destino de todos aqueles que entram no mar

Festa de São Lázaro

São Lázaro é cultuado pela figura de Omolú, o orixá velho que é também Obaluaê, o orixá jovem. Em janeiro é realizada uma festa em sua homenagem.

Um patrimônio chamado Ouro Preto

Patrimônio Cultural da Humanidade, Ouro Preto foi fundada com o nome de Vila Rica

Uma breve e curiosa história da torre Eiffel

Símbolo da França e de Paris, a torre Eiffel foi construída no século XIX e estava programada para ser desmontada 20 anos depois

Da câmera emprestada ao Louvre!

Para estrear este editorial, contarei uma crônica sobre a minha paixão pela fotografia

Olá! Navegue pela galeria e conheça a nossa seleção especial de fotografias! Olá! Navegue pela galeria e conheça a nossa seleção especial de fotografias!